Revês

Revês

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

(trecho de uma história de amor)

Liberte o coração, só por cinco minutos, me permita sonhar por 15 segundos e eu estarei feliz
Minha alma intocável, de aço, de fogo, de leite, de água, de vento, de terra, e areia.
E a sua também, tão parecidos, tão diferentes, tão incógnitas.
Simplesmente simples...
Você não sabe quem eu fui ou como fui. E tampouco porque entrei realmente em sua vida.
Mas, sabe que te amo... Porém, ainda duvida. Não tem problema, meu coração


Está com você. E isso já basta.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Dica de livro: A mão esquerda de Deus

Para quem gosta de mistério e suspense, esse livro é essencial.
Aproveitem.
E não sejam como Cale


"Cale irá compreender a extensão da crueldade dos lordes e a verdadeira origem de seu poder."




“O pânico tomou conta da alma definhada de Cale, como se uma espécie de reservatório de medo tivesse sido represado dentro dele durante todos aqueles anos e agora suas comportas se arrebentassem, levando embora toda a sua petulância e coragem, toda a sua ousadia e vontade de poder. Sua própria espinha dorsal tremia de covardia quando o mestre de armas lhe entregou a espada. A arma lhe parecia tão pesada que ele a deixou cair até pender frouxa ao longo de seu corpo. Tudo havia se resumido em sensações – o gosto amargo da morte e do terror em sua boca; o sol brilhante e ardente; o barulho da multidão e da muralha de rostos. A platéia urrou como uma só fera e Cale observou o homem que estava prestes a massacrá-lo erguer a espada e, com cautela e ponderação, avançar rumo ao menino trêmulo e dominado pelo pânico.”

terça-feira, 15 de junho de 2010

Gestão do Tempo

Um consultor, especialista em gestão do tempo, quis surpreender a Assistência numa conferência. Tirou debaixo da mesa um frasco grande de boca larga. 

Colocou-o em cima da mesa, junto a uma bandeja com Pedras do tamanho de um punho, e perguntou:
 

-"Quantas pedras pensam que cabem neste frasco?"
 

Depois dos presentes fazerem suas conjecturas, começou a meter pedras até Que encheu o frasco. E aí perguntou:
 

-"Está cheio?"
 

Todos olharam para o frasco e assentiram que sim. Então ele tirou debaixo da mesa um saco com gravilha (pedrinhas pequenas, menores que a "brita").
 

Colocou parte da gravilha dentro do frasco e agitou-o.
 

As pedrinhas penetraram pelos espaços deixados pelas pedras grandes.
 

O consultor sorriu com ironia e repetiu:
 

-"Está cheio?"
 

Desta vez os ouvintes duvidaram:
 

-"Talvez não.", responderam.
 

- "Muito bem!", disse ele, e pousou na mesa um saco com areia que começou a despejar no frasco. A areia infiltrava-se nos pequenos buracos, deixados pelas pedras e pela gravilha.
 

-"Está cheio?", perguntou de novo.
 

-"Não!", exclamaram os presentes. Então o consultor pegou uma jarra com água e começou a derramar para dentro do frasco. O frasco absorvia a água sem transbordar.
 

-"
 Bom, o que acabamos de demonstrar?", perguntou. 

Um ouvinte, mais afoito, arriscou:
 

-"Que não importa o quão cheia está a nossa agenda; se quisermos, sempre conseguimos fazer com que caibam mais compromissos."
 

-"Não!", concluiu o especialista, "o que esta lição nos
 ensina é que se não colocarem as pedras grandes primeiro, nunca poderão colocá-las depois... 

E quais são as grandes pedras nas nossas vidas? A pessoa amada, nossos filhos, os amigos, os nossos sonhos e
 desejos, a nossa saúde. 

Lembrem-se: ponham-nos sempre primeiro. O resto encontrará o seu lugar!"

terça-feira, 4 de maio de 2010

Encontro com Cristo ( Mensagem do Padre Marcelo Rossi)


 

Fazia frio naquela manhã, mesmo assim resolvi que precisava levantar, pois havia alguém que me esperava.

Eu havia me comprometido.

Afastei as cobertas, coloquei os meus pés no chão que estava frio e logo procurei meus chinelos, mas o frio

continuava.

Fui lentamente em direção ao banheiro, aquela pequena distancia nunca me pareceu tão longa.

Ao abrir a tornei senti o frio da água que respingava em minhas mãos como se fosse um convite para desistir daquele

encontro.

Com muito sacrifício lavei o rosto pensando seriamente em parar com aquilo e voltar ao calor dos meus cobertores,

porque eu fui me comprometer?

É troquei de roupa e a cada peça que tirava o frio era um convite a desistir e a voltar a dormir.

Afinal era domingo, o único dia em que poderia dormir até mais tarde, mas estranhamente algo dentro de mim

dizia que eu deveria continuar.

Havia algo muito especial para acontecer naquele dia e eu não podia simplesmente desistir.

Talvez não houvesse outra chance de nos encontrarmos ou até quem sabe o ultimo momento.

Nesse dia não fiz nem café, pois já estava atrasado.

Quem sabe ele não me esperasse, quem sabe já tivesse ido embora?

Mas no fundo eu sabia que esses pensamentos não passavam de desculpas para que não cumprisse

com meu compromisso.

Coloquei-me um pouco do café que havia sobrado do dia anterior no primeiro copo que vi pela frente,

esquentei-o, tomei depressa.

Sai apressado pela rua, se alguém me visse naquele momento acharia que eu estava louco.

A cada passo dado a distancia encurtava e o pensamento do atraso voltava e a cabeça me deixando

com o sentimento de culpa.

Será que Ele já foi embora? Será?

Será que estou muito atrasado?

É com certeza eu deveria ter acordado mais cedo.

Quando cheguei a sua casa a posta já estava aberta.

Entrei, vi que o fundo da sala estava iluminado.

Parecia a luz de uma pequena vela, fui me aproximando lentamente como alguém que não queria ser notado

ou que tinha medo do que teria de explicar.

Que desculpas daria pelo meu atraso?

Este pensamento me torturou durante aquele percurso.

Aos poucos eu pude ver.

Ele estava lá, não tinha ido embora, me esperava.

E qual a minha surpresa, nem sequer fez uma pergunta.

Apenas me olhou e pude perceber que Ele já sabia de tudo.

Aquele olhar eu nunca vou me esquecer.

Transmitia uma paz, um carinho, ou melhor, transmitia amor.

E ao estar ali diante D'Ele, só pode dizer uma coisa:

Meu Jesus, obrigado por me esperar.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Aprendam...


"A páscoa traz a possibilidade de redenção dos pecados e dos erros, por meio da ressurreição interior com mudanças efetivas em nosso modo de viver, a ressurreição interior É ser capaz de mudar, é partilhar a vida na esperança, é lutar para vencer toda sorte de sofrimento. É ajudar mais gente a ser gente, é viver em constante libertação, é crer na vida que vence a morte. É dizer sim ao amor e à vida, é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor, é vivenciar a solidariedade. É renascimento, é recomeço, é uma nova chance para melhorarmos as coisas que não gostamos em nós, para sermos mais felizes por conhecermos a nós mesmos mais um pouquinho e vermos que hoje, somos melhores do que fomos ontem."


  

Solzinho/

Era uma vez, uma lua linda e brilhante, mas ela não era muito feliz por que queria conhecer o dia, as nuvens e os pássaros, mas não tinha como ir por que sempre quando ela marcava de ir, dormia. Então, ela disse:

- Quer saber! Eu vou dormir de noite! E assim, ela iria visitar o dia depois.
Quando amanheceu, a lua foi ver o dia, mas assim que ela apareceu se apaixonou pelo sol... Já sabe né... Amor a primeira vista, mas ela tinha que se apaixonar pelo sol? E o sol também se apaixonou pela lua, e os dois namoraram e viveram felizes para sempre.

(historinha de Verenie. 10 anos)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Poema sem título (by: Carla/Carlotinha)


O grande medo do pequeno príncipe é não saber reinar
Mesmo que a rosa não chore os espinhos vão continuar
E mesmo que se acabe a voz o grito prevalece em pleno silêncio
Não se há duvidas que devo continuar
Se com o devagar se vai longe
Com o super jato se vai mais longe ainda
E mesmo que o escuro chegue a assustar
Devo lembrar que a claridade não diminui a beleza do luar.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Dica de livro


Sentidos e sinais




Poemas que exaltam sentimentos de perda, dor, solidão, uma boa dose de ocultismo
De "sinais" a "sentidos" nota-se que todos os discursos moldam-se aos sentimentos.
Mas por que o livro teria duas capas?
Porque Alcides Buss preza tanto a solidão, a incógnita da verdade, o medo, o vazio, e principalmente, o abstrato?
Não há muito que dizer sobre esse lindo e intenso livro. Porém, oferecerei aqui um dos poemas desta obra.


Um Punhal

 
Um punhal ali deitado
Sobre a mesa
Tem sentidos incontáveis.
Há vida em seu desenho
E no seu corte.
Em tocá-lo, o sangue
Escorre na audição
Reclinada sobre a sorte.

 
Um punhal ali deitado
Se desmancha
No prazer imaginado:
Um olho denso
De ruídos acoplados
E as mãos, mais que nunca
Intensas e frutíferas.


Capa: Sentidos e Sinais, Pg. 52

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

MENSAGEM

UM BRAÇO AMIGO

Aquela era uma noite como outra qualquer para aquele moço que voltava para casa pelo mesmo roteiro de sempre,
há três anos.
Ele seguia tateando com sua bengala para identificar os acidentes do caminho, que eram seus pontos de referência, como todo deficiente visual.
Mas, naquela noite, uma mudança significativa havia acontecido no seu caminho:
um pequeno arbusto, que lhe servia de ponto de referência e estava ali pela manhã, fora arrancado.
A rua estava deserta e ele não conseguia mais encontrar o rumo de casa.
Andou por algum tempo, e percebeu que havia se afastado bastante da sua rota, pois verificou que estava numa ponte sobre o rio que separa a sua cidade da cidade vizinha.
Era preciso encontrar o caminho de volta.
Mas como, sem o auxílio da visão?
Começou a tatear com sua bengala, quando uma voz tremula de mulher lhe indagou:
- O senhor está encontrando alguma dificuldade?
- Acho que me perdi, respondeu o rapaz.
- Foi o que pensei, comentou a mulher.
- Quer que o acompanhe a algum lugar?
O rapaz lhe deu o endereço e ela, oferecendo-lhe o braço, o conduziu até a porta de casa.
- Não sei como lhe agradecer, falou o moço.
- Eu é que lhe devo um sincero agradecimento, respondeu ela, já com voz firme.
- Não compreendo, retrucou o rapaz.
E a jovem senhora então explicou:
- Há uma semana meu marido me abandonou.
Eu estava naquela ponte para me suicidar, pois eu estou grávida e geralmente àquela hora a rua e a ponte estaria deserta.
Aí encontrei o senhor tateando sem rumo e mudei de idéia.
Eu e essa criança vamos viver uma boa noite!!!!!!!!!!!
Moral da história: muitas vezes estamos fora do caminho, e Deus coloca Anjos através de pessoas para nos ajudar,
Pense nisso

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Ser Mulher

Tu és uma doce criatura

parceira de Deus na sua criação.
Pródiga és, em dar amor, carinho e ternura
e junto, entregar o teu coração.
Só tu mulher, és capaz de perdoar e esquecer,
pois, as ingratidões sabes relevar
pela grande capacidade que tens de amar.
Sejas tu santa ou pecadora, felina ou manhosa,
mulher frágil ou poderosa
não importa, serás sempre rainha, por que és mulher.
És mística, tens sete sentidos,
intuitiva, sabes que um simples abraço e um beijo
podem curar um coração quebrado e trazer paz a um espírito quebrantado.
Caminhas na dúvida cheia de certeza
enfrentas os obstáculos com galhardia e firmeza
por nada te deixas abater.
És guerreira , companheira, anjo e feiticeira,                         
quando enganada, altaneira sempre dás outra chance.
Na tua fragilidade, mostras quanto és forte
sempre estás pronta a dar ajuda
corres atrás das nuvens num dia de sol
e alcanças o sol num dia de chuva
para ti, nada é impossível,
afinal, tu és MULHER.
(Poema by: WWW.mensagem.etc.br)

















(Mulheres by: Luiz Fernando Verissimo)