Revês

Revês

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Como selecionar o homem perfeito da sua vida?

Crianças (como eu fui) passam a vida sonhando com o cara perfeito de suas vidas, mas o momento mais crucial é quando percebemos que nós (crianças) somos mutáveis, não nascemos mitificadas e não "somos" somente, nós estamos sendo o presente que, depois de algumas horas, será passado,e  nunca foi futuro até termos feito nossas escolhas. Somos imperfeitos por saúde, não, não por saudade da pessoa perfeita, mas por saúde, porque a única representação mitificada que a humanidade teve e até hoje mostrou ser perfeita, é o nosso senhor Deus e seu filho Jesus, fora este, tudo se mostrou contraditório e errante. Pois é, como escolher o homem perfeito se o que nos torna perfeito agora depois podemos classificar como inadequado? Como escolher a mulher perfeita sendo que temos preferências, mas não certezas absolutas de uma vida?
Como selecionar, se não selecionamos a nós mesmos? Então, fica a dica : - vá pelas suas preferências, escute seu coração, mas não se engane com a perfeição porque ela é a busca e não e a solução.

quarta-feira, 10 de julho de 2013


Houve um tempo em que havia um guerreiro
Ele não temia o próprio medo
Lutava contra bravos dragões
Infelizmente, ganhara deles seus
Corações
A cada vencida, ele se derrotava
Na floresta que o rodeava, ele
Desacreditava
Não via mais cor nem luz
Queria o fim de todos na
Cruz
Nojo do mundo ele sentia
Queria daquela época a
Partida
Cansado um dia se matou
E todos diziam: - Que horror
Mas na hora do aperto ninguém
Veio
Não lhe ofereceram alimento
O julgavam por matar os dragões
Mas era ele quem protegia os
Peões
Não entendiam suas ações
Solitário partiu, sem considerações.

A história acaba aqui para uma guerreiro
Que não desistiu de existir
Enquanto vivo fez transformações
Enquanto morto, lágrimas, medos e
Divagações.
Homem de caráter e força
Foi exemplo para poucas e boas
Entre os poucos que o reconheceram
Sentiram-se despertados pelo o medo
O medo que ele não tinha
Mesmo depois de morto disseminou
Na lira.
Pobres os que escutam seus gritos
Ecoar
Não entendem que a paz
Assim não vão encontrar.
Buscar vencer a cruz e o medo
Esse nunca foi o procedimento.
Mesmo assim não foges a luta
Tu eis criança, não conhece a

Labuta.